5 dicas para gerenciamento de custos em projetos

6 minutos para ler

No contexto empresarial, o gerenciamento de custos em projetos consiste nos procedimentos que têm como finalidade levantar uma estimativa, distribuir e monitorar as despesas relativas à execução de um determinado conjunto de tarefas operacionais.

Com essa ferramenta, os gestores podem calcular os gastos que terão no futuro e, assim, tomar as medidas cabíveis para minimizar os riscos de que o orçamento sofra acréscimos desnecessários.

Preparamos este conteúdo para que você entenda a importância do planejamento de custos em projetos, as melhores práticas para otimizar essa questão em sua empresa e como a tecnologia pode contribuir. Continue a leitura do artigo para entender mais sobre o assunto!

 

Qual é a importância de fazer o gerenciamento de custos em projetos?

Quando um projeto é iniciado, é comum que os colaboradores e gestores envolvidos em sua execução deem prioridade aos aspectos relacionados à logística e aos processos operacionais do empreendimento.

Contudo, se as estratégias adequadas não forem adotadas para administrar os custos, a sobrevivência do negócio pode ser comprometida. Em outras palavras, de nada adianta realizar uma estrutura minuciosa em termos de viabilidade do projeto se, na prática, os custos ultrapassarem o que foi planejado no orçamento.

Portanto, podemos afirmar que o gerenciamento de custos em projetos é fundamental para o sucesso do empreendimento, pois permite que a empresa entregue resultados de qualidade utilizando seus recursos próprios, sem que as finanças sejam comprometidas.

 

Quais são as melhores práticas de gerenciamento de custos em projetos?

Agora que você tem uma compreensão mais ampla sobre o que é e qual é a importância do gerenciamento de custos em projetos, mostraremos 5 medidas indispensáveis para reduzir os gastos e otimizar o orçamento nas tarefas que sua empresa se propõe a fazer.

 

1. Planeje os custos

O planejamento inicial é simplesmente a base de qualquer projeto. Afinal, em termos financeiros, é necessário saber o que será preciso para o seu desenvolvimento.

Isso quer dizer que o gestor precisa levantar aspectos como a possibilidade de precisar terceirizar serviços, a quantidade de mão-de-obra e as ferramentas que dispõe para atender às demandas, entre outros detalhes.

Nesse sentido, é imprescindível que o planejamento de custos seja minucioso o suficiente para garantir que o orçamento pré-determinado não seja extrapolado. Sendo assim, é importante levantar informações detalhadas, como o valor e a quantidade de cada item envolvido.

 

2. Faça uma estimativa dos custos

Após planejar os possíveis gastos envolvidos no projeto, é hora de fazer uma estimativa de custos. E, por mais que se trate de um cenário hipotético, os valores não devem ser levantados sem um bom embasamento em dados realistas.

É preciso que o gestor chegue aos custos por meio de análises financeiras precisas, pois somente dessa forma é que ele poderá ter uma noção aproximada de quanto custará cada recursos pertinente à realização do projeto.

Uma ótima maneira de levantar essa estimativa é com o apoio de uma consulta do planejamento. Esse documento aponta cada detalhe financeiro envolvido no projeto.

Com esse plano em mãos, o gestor pode contatar os prestadores de serviços e fornecedores para solicitar orçamentos, além de buscar opiniões de especialistas.

 

3. Defina os orçamentos

O orçamento de custos consiste no momento em que o gestor faz uma projeção final sobre quanto exatamente será preciso investir para que o projeto seja concluído.

Aqui, não cabem mais hipóteses: é preciso que os valores sejam condizentes, de fato, com a realidade em cada etapa do projeto. A ideia é que não ocorram surpresas durante a execução.

Nessa fase, os fornecedores e prestadores de serviços que mostraram as melhores propostas em termos de custo-benefício são escolhidos. O gestor tem todos os valores levantados para conduzir o orçamento e concretizar o projeto, o que aumentará as chances de sucesso.

 

4. Faça um controle adequado

Quando falamos em controle de custos, nos referimos ao ato de acompanhar com proximidade, ao longo da realização do projeto, se os valores que foram orçados estão sendo cumpridos.

O objetivo dessa etapa é monitorar todas as despesas realizadas para se ter a certeza de que o orçamento aprovado está sendo seguido com cuidado.

É crucial compreender que o controle de custos é cíclico e contínuo. Ou seja, ele deve ser feito durante todo o desenvolvimento do projeto. Por isso, é preciso manter a constância ao fazer uma comparação entre o orçamento previsto e os gastos realizados.

 

5. Revise periodicamente

Embora o gerenciamento de custos em projetos tenha sido concluído na etapa anterior, o hábito de revisá-lo periodicamente é fundamental para que o gestor mantenha estudos a respeito dos gastos e se certifique de que os custos se mantenham dentro do que foi orçado.

Afinal, imprevistos acontecem, e um profissional precavido sempre trabalha com uma margem de erro — isto é, análises preditivas e planos alternativos. Além disso, a revisão periódica visa garantir que o projeto se mantenha dentro das estimativas de custos, e nenhuma das áreas envolvidas gere mais ou menos gasto do que o previsto.

É com base nessa análise que será possível aferir se o planejamento foi realmente bem-sucedido, saber se o orçamento teve um nível de precisão satisfatório e, é claro, quais medidas serão necessárias para aprimorar a execução de projetos futuros.

 

Como a tecnologia pode contribuir com o gerenciamento de custos em projetos?

Não é novidade que a tecnologia está cada vez mais presente nas organizações modernas, fornecendo soluções inovadoras para as mais diversas necessidades do cotidiano corporativo.

Dado o contexto, ao adotar um bom software de gestão empresarial, como o Dynamics 365 da Smart Consulting, o gerenciamento de custos em projetos é otimizado com os benefícios que somente a tecnologia da automação pode proporcionar.

Para concluirmos, vale mencionar que, se sua empresa deseja realizar o gerenciamento de custos em projetos com mais eficiência e precisão, é fundamental contar com um sistema integrado de gestão empresarial. Dessa forma, todas as dicas citadas no decorrer desse artigo podem ser colocadas em prática.

Este conteúdo foi útil? Então, é provável que você também se interesse por nosso artigo sobre as 6 principais tendências de mercado para a gestão de projetos!

Share and Enjoy !
Posts relacionados

Deixe um comentário