profissional devops desenvolvendo

DevOps: o que é, como implementar, benefícios e mais

Sharing is caring!

O setor de Tecnologia da Informação tem passado por uma série de transformações ao longo dos últimos anos. Por isso, é importante que os gestores fiquem atentos e implementem as principais medidas para modernizar os negócios desse setor, garantindo um maior diferencial competitivo.

Uma das atualizações da área que trouxe uma série de benefícios para as organizações foi o surgimento do DevOps. Com ele, as empresas se tornaram mais ágeis, eficientes e com maior integração entre os times.

Você sabe o que é DevOps? Neste artigo, vamos trazer um guia completo sobre o conceito: o que é, como aplicá-lo, sua importância, os benefícios e a relação com outros conceitos importantes da área. Então, boa leitura e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que é DevOps?

O DevOps é um conceito que tem sido cada vez mais utilizado na área de TI. Seu objetivo é promover uma maior integração entre o setor de Desenvolvimento (Devs) e Operações (Ops).

Nos modelos tradicionais, há uma separação bem estanque, com pouco estímulo para a integração e comunicação entre os times. Assim, os desenvolvedores desconheciam as peculiaridades e demandas dos profissionais de operações (e vice-versa).

Com isso, os gargalos no processo de criação de soluções aumentavam e havia uma constante necessidade de retrabalho. Esse desalinhamento gera consequências severas, como:

  • falhas na elaboração do projeto;
  • necessidade de retrabalho;
  • produto final que não atende às expectativas do cliente;
  • geração de prejuízos internos;
  • repercussão ruim sobre a empresa para o cliente.

Esse modelo funcionou adequadamente por muito tempo, mas se tornou obsoleto quando surgiu, nos últimos anos, uma maior necessidade de processos mais ágeis para a entrega de resultados.

O DevOps se adéqua, por exemplo, a uma realidade de TI Bimodal (rotinas diárias = modo 1 + inovação = modo 2) e à adoção de metodologias ágeis, bem como à inserção de uma Governança de TI eficiente. Assim, o setor de TI passa a trabalhar de forma mais moderna e voltada para os paradigmas atuais.

Seus objetivos são:

  • simplificação de processos;
  • integração de áreas;
  • adoção da integração contínua;
  • entregas com maior qualidade para o cliente;
  • entregas mais ágeis, reduzindo o tempo de resposta para o cliente.

Como o DevOps funciona?

A base do DevOps é o uso de uma série de ferramentas que permitem uma otimização dos setores de Desenvolvimento e de Operações, além da integração entre ambos. Seu funcionamento ocorre por meio de uma série de processos envolvidos nas etapas de desenvolvimento e entrega (que não terminam), operando como um ciclo que se retroalimenta. São eles:

  • codificação (code);
  • compilação (build);
  • teste (test);
  • release;
  • deploy;
  • configuração/operação (operate);
  • monitoramento (monitor);
  • planejamento (plan).

Durante essas etapas, os desenvolvedores estão focados no lançamento rápido da aplicação, utilizando estratégias importantes (como os frameworks Agile). Enquanto isso, os responsáveis pelas operações estão cuidando da infraestrutura de TI, a fim de permitir que a aplicação opere de forma estável, evitando falhas no seu lançamento.

Mas vale lembrar que, em um ambiente DevOps, as fronteiras entre esses dois setores são tênues. Um time contribui para as ações do outro, já que os objetivos coincidem. Da mesma maneira, os profissionais devem ter conhecimento nas duas áreas: os de desenvolvimento precisam saber sobre as operações e vice-versa, ainda que de forma básica.

Qual é a importância de implantar o DevOps?

Quando falamos em DevOps, estamos nos referindo a um TI moderno, no qual os colaboradores não trabalham mais de forma separada, sem contato entre eles. Todos agem de modo integrado, em equipes híbridas, para atingir a satisfação ao cliente.

Há uma demanda cada vez maior por entregas mais ágeis, capazes de oferecer as soluções para o público em menor tempo e com o mínimo de erros. Assim, é possível garantir um processo de melhoria constante, com novas versões atualizadas e correções de bugs ou vulnerabilidades, sempre levando a melhor solução para o contratante e superando suas expectativas.

Outro ponto que não podemos deixar de mencionar é que o DevOps favorece a sinergia entre os times. Além disso ser propício para processos mais ágeis e eficientes, permite tornar o ambiente organizacional mais tranquilo para a atuação dos colaboradores, que exercem suas atividades com uma maior segurança. Assim, os índices de erros e retrabalhos são minimizados, tornando o processo de desenvolvimento mais eficiente e produtivo de modo geral.

Quando você consegue se adequar aos novos tempos da TI, destacando-se com os clientes e prestando um melhor atendimento ao público, gera um diferencial competitivo interessante. Isso pode colocá-lo à frente de outros concorrentes em sua região, melhorando sua imagem ao longo do tempo.

Como funciona o processo de implantação do DevOps?

A adoção do DevOps deve ocorrer com um planejamento eficiente e cautela, porque a integração entre os setores tende a ser bastante dificultosa. Por isso, para facilitar o processo, é fundamental que o DevOps seja bem elaborado.

É preciso seguir alguns passos para implementá-lo da forma adequada. Vamos mostrar os principais a seguir.

Planejamento da adoção do DevOps

Todo processo de implementação de mudanças precisa passar por um planejamento impecável para que seja eficiente. O DevOps é mais do que uma mudança técnica — trata-se de uma transformação de cultura, portanto traz impactos significativos para o seu negócio.

É fundamental que os gestores responsáveis e a alta diretoria se reúnam e, em conjunto com especialistas em DevOps, criem um planejamento com o passo a passo do que será modificado em sua empresa. Os seguintes pontos devem ser incluídos:

  • qual é o atual cenário da sua empresa no que diz respeito aos processos de desenvolvimento e operações;
  • quais estruturas e processos devem ser modificados;
  • a necessidade de realocar equipes e de que forma isso será realizado;
  • as ferramentas que devem ser implementadas;
  • qual será o orçamento necessário para a adoção do DevOps;
  • a definição do passo a passo e do cronograma de adoção;
  • a elaboração das métricas para avaliar se a adoção está sendo de fato efetiva e os resultados estão sendo obtidos.

Adoção da TI Bimodal

A TI Bimodal é um dos pontos que permite facilitar a adoção do DevOps nas organizações, bem como modernizar seu negócio para a nova era da TI sem gerar um grande choque nos times.

Ela diz respeito à adoção de novas práticas e experimentos em conjunto com os processos da TI tradicional. Isso promove uma maior agilidade nos processos e experimentações de novas metodologias no ambiente interno.

Integração de serviços

Um dos princípios fundamentais do DevOps é a integração de serviços. Portanto, para que seja possível sua aplicação plena, o ambiente precisa ser propício a tal fim, caso contrário será impossível que funcione adequadamente.

É fundamental quebrar as barreiras entre os times, tirando-os do ambiente “presos em seu próprio mundo”. Algumas medidas potencializam isso, como:

  • adoção de ferramentas de comunicação entre os times;
  • realização do mapeamento de processos e da integração entre aqueles que pertencem a equipes distintas;
  • organização das equipes de forma a favorecer o fluxo de informações e o ambiente colaborativo;
  • adoção de metodologias que conduzam as equipes a esse modelo de processos;
  • uso de ferramentas de integração contínua.

Treinamento das equipes multidisciplinares

Além de tudo o que já falamos, é essencial que os colaboradores aprendam a trabalhar com o DevOps em suas rotinas. Afinal, não adianta realizar toda a mudança de infraestrutura sem que eles atuem de acordo com os princípios estabelecidos por essa metodologia.

Trace todo o planejamento para realizar rodadas de treinamento, desde ensinar a concepção da metodologia até conduzir o processo de mudanças internas, com novas normas e regras de conduta.

Além disso, como os times vão trabalhar em conjunto, recomenda-se realizar eventos de integração entre os funcionários. Assim, eles podem se conhecer melhor e ter um maior entrosamento, o que aumentará a sinergia entre os membros da equipe.

Também é importante ressaltar a necessidade de manter um clima organizacional sempre positivo. Isso porque possíveis insatisfações e conflitos podem prejudicar o andamento dos times e, consequentemente, dos trabalhos. Portanto, é fundamental que o setor de RH da empresa acompanhe essas questões continuamente.

Outro ponto essencial é treinar as equipes para atuarem de forma multidisciplinar, de maneira que os profissionais de desenvolvimento tenham pelo menos uma compreensão básica das funções de operações e vice-versa.

Adoção da padronizações de processos

Para que os trabalhos de desenvolvimento e operações sigam alinhados (um pressuposto básico do DevOps), é fundamental que ocorra uma padronização dos processos. Isso ajuda a evitar o surgimento de gargalos devido à necessidade de refazer trabalhos ao passar as etapas de um setor para o outro.

A padronização permite um maior controle e acompanhamento do processo de criação e desenvolvimento, bem como gera mais autonomia para os colaboradores. Ela ainda permite uma gestão de incidentes mais eficaz.

Para isso, crie um documento com as diretrizes para todas as áreas, a fim de evitar discrepâncias entre os setores e prezar pela agilidade necessária para um bom DevOps nas empresas.

Aplicação de uma gestão inteligente

A flexibilização do trabalho no ambiente DevOps deve vir sempre acompanhada de uma gestão inteligente, capaz de realizar essa interligação entre os setores e garantir que não se torne um espaço caótico.

O gestor cumpre o papel de direcionar as equipes envolvidas, garantir um melhor fluxo de informações entre todos, aplicar os módulos de metodologias ágeis e coordenar possíveis divergências, entre outros pontos.

Portanto, esse papel se torna altamente estratégico. Por isso, é imprescindível que bons líderes, com jogo de cintura e profundo conhecimento de cultura DevOps e metodologias ágeis, estejam nesse cargo.

Mensuração de resultados

Como falamos na etapa de planejamento, é preciso também avaliar se a aplicação do DevOps está sendo de fato efetiva. Caso contrário, é necessário adotar medidas para readequar as estruturas e obter melhores resultados.

Por isso, é importante aplicar métricas específicas para mensurar os resultados. A avaliação deve ser feita periodicamente, para comparar se estão sendo resolvidos os possíveis gargalos encontrados anteriormente.

Algumas métricas importantes a serem acompanhadas são:

  • velocidade de verificação de um software;
  • índice de erros;
  • número de incidentes por release;
  • turnover de colaboradores;
  • tempo médio de restauração do serviço;
  • índice de atrasos no cronograma.

Quais são os benefícios da metodologia DevOps?

O DevOps é cada vez mais adotado nas organizações pelo fato de gerar uma transformação para alavancar os resultados do negócio. Vamos apontar a seguir as principais vantagens que a adoção do DevOps pode trazer para a sua empresa.

Integração entre áreas

Um dos principais objetivos da adoção dessa metodologia é promover uma maior integração entre os setores de Desenvolvimento e Operações. Mas não apenas essas áreas são beneficiadas pela metodologia: a gestão de processos e os clientes também são impactados.

Sendo assim, é possível conseguir uma atuação mais sinergética entre todos, desde os envolvidos no planejamento até a implementação do software no negócio. Também se torna viável gerar maior valor para o cliente.

Estímulo ao ambiente colaborativo

A integração da qual falamos anteriormente gera um ambiente favorável ao trabalho colaborativo — além disso, é adotado como valor na cultura interna da organização, estimulando os presentes a trocarem informações e contribuírem com sugestões ou melhorias.

Outro ponto é convidar o cliente a também participar do projeto durante o seu desenvolvimento. Assim, ele pode avaliar se está no caminho certo ou é necessário algum tipo de adaptação durante o processo para atender às suas expectativas.

Automação de processos

O DevOps facilita a adoção de soluções para automatizar processos que anteriormente eram elaborados por deploys manuais. Diante disso, além de agilizar e simplificar etapas internas, é possível alocar colaboradores que estavam dedicados a questões técnicas em outras áreas, como:

Escalabilidade

O DevOps permite um uso inteligente dos recursos internos, bem como avaliar a possibilidade de escalonamento quando necessário. Isso é fundamental para minimizar despesas com expansões que talvez não sejam interessantes naquele momento.

Simplificação de processos

Outro ponto fundamental do DevOps é a redução de gargalos e burocracias no processo de criação de soluções. Dessa forma, é possível também reduzir os custos envolvidos em tais questões.

Isso é possível com o reuso de módulos de software, por exemplo. Princípios como flexibilidade e uso de metodologias ágeis também contribuem para o cenário.

Liberação da solução mais rapidamente

Um dos principais benefícios da metodologia DevOps é conseguir fazer com que as entregas da solução para os clientes sejam feitas de forma mais ágil. Também se torna mais rápido liberar novas versões do software.

Isso porque a flexibilidade e a redução dos gargalos promovidas pelo DevOps permitem que novas ferramentas, atualizações e correções de vulnerabilidades sejam feitas com maior agilidade. Ao mesmo tempo, não há falhas que possam comprometer a usabilidade da solução.

Racionalização de processos

Outro ponto importante do DevOps é tornar os processos internos mais racionais, buscando conseguir o máximo de eficiência com menores custos. Isso ocorre principalmente por uma remodelação interna, gerando novos padrões que consigam alavancar sua empresa.

DevOps x Agile x ITSM x ITIL x Gestão de Projetos: qual a relação entre eles?

Quando falamos em DevOps, normalmente uma série de outros termos também são trazidos à tona. Metodologia Agile, ITSM, ITIL e Gestão de Projetos, por exemplo, não são sinônimos, mas trabalham em conjunto para tornar o seu TI mais moderno e eficiente.

Para auxiliar você na compreensão desses termos, vamos falar a seguir sobre cada um de modo individual. Depois, estabeleceremos a relação entre eles no dia a dia do setor.

Agile

Agile diz respeito a uma forma de pensar que surgiu como forma de contornar obstáculos existentes no processo de desenvolvimento de software dentro das metodologias tradicionais. Sendo assim, é uma alternativa baseada em alguns princípios, segundo o Manifesto Agile:

  • abordagem interativa, que estará acima de processos e ferramentas;
  • foco no funcionamento do software, que estará acima da documentação completa;
  • buscar trazer o cliente para o processo, o que é mais importante do que os contratos em si;
  • ter flexibilidade para mudanças, que é preferível em vez de seguir o planejamento inicial.

O conceito também é conhecido como “metodologias ágeis”, ou seja, uma série de ferramentas e frameworks que podem ser adotados nas organizações a fim de tornar os processos mais rápidos, mas sem perder eficiência. Alguns dos principais adotados no momento são:

  • Scrum;
  • eXtreme Programming (XP);
  • Feature Driven Development (FDD);
  • Dynamic Systems Development Method (DSDM);
  • Adaptive Software Development (ASD);
  • Crystal;
  • Lean Software Development (LSD);
  • Kanban, entre outros.

ITSM

Trata-se do Information Technology Service Management ou, em português, Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação. O objetivo é gerenciar as atividades essenciais para fornecer serviços de TI aos clientes, com foco em suas necessidades, no lugar de priorizar sistemas e infraestruturas.

ITIL

O ITIL (Information Technology Infrastructure Library) é uma biblioteca que auxilia os gestores de TI em boas práticas de infraestrutura, operação e manutenção interna. Assim, é possível garantir uma maior eficiência, com protocolos modernos e que já foram adotados de forma eficaz por outras empresas.

Nele você encontrará modelos de práticas, procedimentos e listas de verificações, entre outros, que foram desenvolvidos e são constantemente atualizados por profissionais experientes em todo o mundo. Ou seja, é um conjunto de boas práticas de ITSM.

Deve-se lembrar que o ITIL não é um modelo estanque, engessado. Pelo contrário: os gestores podem realizar as mudanças necessárias para adequá-lo ao contexto do seu negócio.

Gestão de projetos

A gestão de projetos em TI diz respeito ao conjunto de ferramentas utilizadas para monitorar a qualidade dos processos realizados internamente, o cumprimento dos prazos e as possíveis tarefas pendentes, bem como analisar quais são os colaboradores envolvidos com cada uma das etapas.

A relação entre esses conceitos

Ao entender o que é cada um dos conceitos anteriores, torna-se mais clara a relação entre eles, não é mesmo? DevOps, Agile, ITSM, ITIL e Gestão de Projetos são os principais pilares para aderir a um TI mais moderno, eficiente e que atenda aos anseios de uma nova era, que preza por maior agilidade, centralização do cliente no processo de criação e integração entre as equipes.

Ao adotar DevOps e Agile, por exemplo, você tem um maior controle dos processos e entende quais etapas estão com cada equipe, assim como quais são os colaboradores responsáveis por cada função.

Além disso, o ITIL permite adotar boas práticas e ferramentas de ITSM que auxiliem na sustentação de um ambiente colaborativo (necessário para o DevOps).

Sendo assim, todos eles se complementam e permitem uma maior eficiência em seu negócio, garantindo a satisfação do seu cliente e uma melhor reputação no mercado.

Muitos especialistas acreditam que alguns desses conceitos que citamos não são compatíveis — é o caso, por exemplo, de DevOps e ITIL. Alguns afirmam que é necessário escolher um ou outro, não sendo possível conciliá-los. Isso não é verdade, pois eles não são mutuamente exclusivos.

Da mesma forma, há um mito de que o DevOps seria o substituto do ITIL. Isso não se sustenta, pois o primeiro não supre algumas demandas importantes para TI, como normas para operações, suporte, governança, gestão de custos. Trata-se de pontos que o segundo consegue abordar de uma melhor forma.

É possível utilizá-los de maneira integrada, obtendo benefícios complementares entre ambos. Assim, você equilibra agilidade, colaboração, processo e controle.

Ainda podemos acrescentar a essa relação: os métodos Agile e DevOps, integrados, conseguem trazer não só mais velocidade, mas uma maior escalabilidade para mudar projetos caso seja necessário.

O DevOps, em conjunto com as metodologias ágeis, é o futuro do TI. Por isso, é fundamental que você comece o quanto antes a adotá-lo. Consultorias especializadas são fundamentais nesse momento, a fim de reduzir os riscos de problemas com a estratégia e garantir os resultados desejados.

Gostou do conteúdo? Nossas dicas foram úteis para sua empresa? Então, receba artigos imperdíveis como este assinando nossa newsletter.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shares