Cybersegurança: como se proteger dos ataques virtuais?

7 minutos para ler

Não é novidade para ninguém que o mundo está mais conectado a cada dia, sobretudo em ambientes corporativos. Com isso, uma infinidade de dados e informações importantes são compartilhados a todo momento pela internet. Além disso, diversos arquivos confidenciais são armazenados de maneira digital. É por tudo isso que a cybersegurança se tornou uma ferramenta tecnológica fundamental.

Entretanto, infelizmente, as ameaças virtuais avançam na mesma proporção que a tecnologia, tornando-se mais sofisticadas e perigosas. Foi para combatê-las, que a cybersegurança foi desenvolvida.

De acordo com um estudo da Fortinet, empresa de segurança cibernética, em 2020 o Brasil registrou mais de 8,4 bilhões de ameaças desse tipo de ataque. O número impressiona e representa mais de 20% dos casos registrados em toda a América Latina.

Neste post, vamos mostrar a você como se proteger de forma efetiva dos ataques cibernéticos. Acompanhe!

 

O que é cybersegurança?

Cibersegurança, também chamada de segurança da tecnologia da informação, ou ainda, segurança de informações eletrônicas, é um método de proteção da tecnologia, atuando contra as ameaças e ataques cibernéticos. Esse conjunto de ações e medidas tecnológicas é eficiente para defender:

  • sistemas eletrônicos;
  • smartphones;
  • servidores;
  • dados;
  • redes etc.

Assim, com a definição de cyberesegurança fica clara sua grande importância para as empresas e também para a pessoa física.

 

Qual a finalidade da cybersegurança?

Hoje em dia, se valer da cybersegurança é crucial, já que tudo está conectado por meio da internet ou tecnologias afins. Diante disso, mais do que nunca, é obrigatório desenvolver medidas e mecanismos protetivos com a finalidade de eliminar ou reduzir riscos, bem como corrigir falhas para se defender de criminosos virtuais.

Assim, as grandes empresas e as entidades governamentais investem pesado em cybersegurança visando evitar que criminosos cibernéticos acessem, divulguem e fraudem transações financeiras ou roubem dados das organizações, utilizando phishing, malware, ransomware, entre outros.

No entanto, ultimamente, as médias e pequenas empresas também vêm sofrendo ataques — o que faz com que a segurança da informação também seja importante para elas. Por fim, a segurança cibernética precisa ser trabalhada em diversos níveis, começando pela segurança das redes físicas e dos aplicativos e terminando na capacitação do usuário final.

 

Quais as principais características da cybersegurança?

Proteção da informação digital

A característica principal da cybersegurança é ter como foco a proteção da informação digital, a qual está no interior dos sistemas, o que faz com que seja parte do ambiente de segurança da informação.

 

Bloqueio das ameaças cybernéticas

Além disso, ser capaz de barrar invasões das principais ameaças cybernéticas, como as já citadas anteriormente, sendo uma característica fundamental para a cybersegurança.

 

Quais os riscos de ataques virtuais?

Quando uma empresa ou uma pessoa física sofre crimes cybernéticos pode ocorrer diversas perdas. Os prejuízos, financeiros ou não, podem ser exponenciais. Destacam-se:

  • ter problemas legais com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados);
  • gerar multas por descumprimento da legislação vigente;
  • levar clientes a moverem processos contra a corporação;
  • sofrer vazamento de dados de clientes e fornecedores;
  • abalar a confiança do mercado na marca;
  • sofrer furto e sequestro de dados;
  • sofrer com injúria e difamação;
  • perder informações relevantes
  • sofrer com a identidade falsa;
  • sofrer invasão de sistemas etc.

 

Qual a importância da cybersegurança?

Pelo que já vimos até aqui, a cybersegurança é extremamente importante. Sabemos que as empresas transmitem dados confidenciais por meio de redes, o que as faz depender de medidas de segurança com a finalidade de proteger todas as informações.

De acordo com a sofisticação e o quanto o volume de ataques cybernáticos aumentam, as empresas, sobretudo as que visam proteger informações confidenciais, se vêm mais propensas a tomar medidas de proteção de dados confidenciais bem como de informações empresariais e pessoais.

 

Como se proteger dos ataques cybernéticos?

Uma das principais ferramentas é alinhar as regulamentações vigentes, como a LGPD, que trata da privacidade no Brasil. Esse cuidado pode assegurar a sustentação da empresa participante do M&A (Mergers and Acquisitions) e a continuidade dos negócios sem quaisquer bloqueios por parte de autoridades fiscalizadoras.

As formas mais comuns de proteção de quem opera os equipamentos tecnológicos em ambiente virtual podem ser vistos abaixo!

 

Gerenciamento de identidade

Trata-se de um processo de compreensão do acesso de cada indivíduo em uma organização.

 

Segurança de banco de dados e infraestrutura

Além do ambiente virtual, há, em uma rede, os equipamentos físicos e o banco de dados. Dessa forma, apostar na proteção desses dispositivos é fundamental.

 

Segurança na nuvem

Hoje em dia, muitos arquivos ficam armazenados na nuvem. Por isso, proteger dados nesse ambiente 100% online, que possui enorme quantidade de desafios, é crucial para evitar ataques cybernéticos.

 

Configuração de VPN

Uma rede VPN (rede virtual privada) é um investimento crucial para a cybersegurança, além de gerar maior flexibilidade no dia a dia de trabalho dos funcionários da empresa. Isso acontece porque a VPN é mantida pela equipe de TI e seu acesso é limitado, garantindo mais segurança.

Dessa forma, se alguém precisar acessar arquivos importantes de outro local, pode fazê-lo por meio da VPN que foi configurada e não de uma rede desprotegida.

 

Certificados e assinaturas digitais

Esse recurso é fundamental para garantir a legitimidade das informações e o cumprimento de exigências legais de empresas. Isso porque, os certificados e as assinaturas digitais têm validade jurídica. Além disso, existe uma identificação para cada usuário do recurso, aumentando o nível de segurança.

 

Planejamento de recuperação de desastres na Cybersegurança

Além de se proteger de ataques virtuais, é fundamental ter uma política de recuperação cybernética. Assim, se houver uma violação, os dados de desastres naturais e demais eventos precisam ser protegidos e as atividades devem continuar existindo.

Até aqui, você já percebeu que os ataques cybernéticos são mais frequentes a cada dia. Por isso, falar em cybersegurança é imprescindível para empresas e pessoas físicas. No entanto, felizmente, existem formas de blindar os ambientes virtuais. Você pode, por exemplo, contar com a expertise da Plataforma de Nuvem Azure, da Microsoft, para as estratégias de segurança na internet que mais atendem as suas necessidades.

Com a Azure, é possível:

  • proteger máquinas virtuais contra vírus e malwares;
  • atender aos requisitos de conformidade;
  • criptografar dados confidenciais;
  • proteger o tráfego de rede;
  • Identificar ameaças.

Agora que você sabe tudo sobre cybersegurança, deixe um comentário sobre sua experiência sobre o tema: se já protege seus dados suficientemente, se a partir desse conteúdo mudará seus hábitos de segurança na internet e se já sofreu ataques virtuais!

Share and Enjoy !
Posts relacionados

Deixe um comentário